top of page
  • Ronaldo Gomes dos Santos

Eu sou meu


Diante de um mundo cheio de excessos

Que destroem o homem

Onde há muita informação e pouca formação

Eu procuro salvar-me de mim mesmo

Na cegueira tento controlar os meus impulsos

Do vício que corrói a virtude

Do amor à criatura

Porque eu fui achado pelos que não me buscavam

Porque eu sou meu

Quero curar a mim mesmo

De toda a vaidade mundana

Viver acima da minha altura

Porque eu sou responsável por mim

Porque eu sou meu

Eu sou

De todas as fraquezas

A que mais se aflige

Eu sou

O choro que no silêncio

Escuta uma lágrima cair

Eu sou

O padecimento

E todo o penar da ausência

Eu sou a evidência do meu viver

Eu sou meu

Dono de mim

bottom of page