• Ronaldo Gomes dos Santos

La fuerza y latinidad de Christina Aguilera

Atualizado: 25 de ago.



Setembro de 2000, eu era um estudante de espanhol que já acompanhava e admirava muito o trabalho da cantora norte-americana com raízes equatorianas, Christina Aguilera, quando adquiri o álbum Mi Reflejo com suas primeiras gravações na língua de seus avós paternos. Na ocasião senti que havia encontrado uma nova alma. Desde então esse álbum figura entre os mais importantes em minha vida.


Após alguns anos prometendo um novo álbum em espanhol, hoje, 21 de janeiro de 2022, a cantora lança nas plataformas de streaming o seu EP La Fuerza parte do seu projeto que busca se reconectar com suas raízes, como ela mesma vem declarando em suas recentes entrevistas na mídia.



“Este álbum é um momento de um círculo completo para mim. É algo que eu queria fazer há tantos anos. Tenho uma equipe incrível atrás de mim que me dá muito apoio”, disse Chistina. “Estou na música há muito tempo, mas não há nada como estar perto de músicos e artistas latinos, a energia que eles trazem para a mesa, o amor e a paixão que eles simplesmente trazem e exalam.”


“Quando ouvi meu primeiro disco em espanhol, adorei e sou grata por ele. Ganhei um Grammy Latino com ele, mas ouço o disco 20 anos depois e fico tipo, ‘Que lindo que era a bebê Christina! ‘”, diz ela. Duas décadas depois, ela reflete que “as coisas estão muito mais profundas no contexto e nas capacidades vocais que estou usando agora, tendo tido toda a experiência no negócio que tenho, então definitivamente estou explorando coisas novas por mim, e com um nível de respeito e apreciação mais profundo por onde estou agora como uma mulher adulta.”



Para a Billboard ela disse: “La Fuerza não é apenas uma homenagem à suas raízes latinas, mas um projeto cheio de paixão, inovação, exploração e, claro, vocais poderosos.


“Pode ser intimidante e assustador se expor de uma maneira que você sabe que será desafiadora. Não escrevo em espanhol como em inglês, mas conheço meu coração”, disse ela. “É uma jornada em camadas em que estive, mas agora tendo meus próprios filhos, quero que eles vejam que mamãe não sabe tudo. Ainda estou aprendendo também e não vou desistir de algo pelo qual sou realmente apaixonado porque estou com medo ou com medo do que as pessoas vão pensar. Este sou eu sendo eu na minha própria jornada de vida. Eu poderia chorar por isso. Significa muito para mim."



O seu EP é composto de seis faixas poderosas. Duas faixas já são conhecidas do público, “Pa’ mis muchachas” e “Somos nada”, lançadas no ano passado.


Horas antes do lançamento das demais canções, foi liberada a faixa “Santo”, uma parceria com o cantor porto-riquenho Ozuna.


01 Ya Llegué


La Fuerza começa com “Ya Llegué”, uma faixa futurista sensual que gradualmente se transforma em um reggaeton contundente. Nesta faixa solo, Xtina garante aos fãs e ouvintes que ela chegou (e está aqui para ficar), mas mais ainda, a letra é coquete (sedutora). “Você está perguntando por mim? Cheguei, cheguei / sou perfeita para você, eu sei, eu sei”, canta. Na faixa, ela até sampleia seu hit de 1999, mas muda um pouco a narrativa. “Como um gênio em uma garrafa, nunca”, ela também canta.


02 Pa’ Mis Muchachas


Uma “homenagem às mulheres”, como Christina Aguilera descreveu a música, “Pa’ Mis Muchachas” é um hino moderno de poder feminino que homenageia as latinas que vieram antes de nós. “Uma mulher, tão forte como sou hoje, foi quem me mostrou esse fluxo”, canta Aguilera no início da música. Uma guaracha suave que apresenta os pesos pesados ​​Becky G, Nathy Peluso e Nicki Nicole, que se juntam a Aguilera trazendo seu próprio talento, “Pa’ Mis Muchachas” serviu como o primeiro single de La Fuerza.


03 Somos Nada


Para seu segundo single, a vocalista tomou uma direção totalmente diferente de “Pa’ Mis Muchachas”. “Somos Nada” é uma balada nostálgica despojada liderada por piano que coloca seu tom profundo e poderoso em primeiro plano. Esta faixa é a assinatura de Christina Aguilera onde, como sempre, ela entrega uma performance crua e emocional. Adoramos a experimental Xtina que canta reggaeton e guaracha, mas não há nada como sua entrega vocal em uma balada marcante, que tem a capacidade de arrepiar qualquer um.



04 Santo


Xtina e Ozuna colaboram pela primeira vez em “Santos”, um filme contagiante dirigido pelos produtores Rafa Arcaute, Federico Vindver e Dallas K e co-produzido pelo executivo da Sony Afo Verde. Escrita por ambos os artistas ao lado de Dallas K, Gale e Josh Barrios, “Santo” é sobre duas pessoas que são viciadas uma na outra. “Santo sálvame (Santo, me salve)”, repete o gancho cativante. Os vocais nítidos e açucarados de Ozuna e o alcance vocal de Xtina criam o perreo perfeito que depois transita para uma cúmbia que balança o quadril. No videoclipe inspirado em fantasia sombria, dirigido por Nuno Gomes, os dois artistas dão vida à sua química, narrando um encontro em uma espécie de vida após a morte.



05 Como Yo


No verdadeiro estilo de Christina, essa música é outro lembrete da mulher forte e empoderada que ela se tornou. Esta faixa dance-pop ideal para clubes com batidas fortes explora um lado diferente da trajetória musical de Xtina. Nas letras, porém, ela mantém sua essência, cantando sobre ser única e independente. “Eu não preciso de ninguém; Eu faço minhas próprias coisas”, ela canta.


06 La Reina


Essa faixa surpreendente pode facilmente se tornar o hino do álbum, e temos certeza de que os fãs se conectarão com ela rapidamente. A icônica cantora e compositora traz todos os seus poderosos e talentosos vocais para entregar uma sincera ranchera que transmite perfeitamente a popular frase “O que é um rei sem sua rainha?” A faixa, com suas melodias nostálgicas de mariachi acompanhadas por cordas de guitarra, captura emoções profundas que cantam sobre desgosto, mas com letras empoderadoras. “E eu chorei, chorei, chorei e jurei, jurei, jurei, que nenhum homem me deixaria triste novamente”, canta Chistina no refrão. “La Reina” está no topo da lista do nosso editor porque, convenhamos, Xtina cantando mariachi faz sentido.


Essa canção é disparada a minha favorita! Nunca imaginei a voz da Aguilera cantando uma música ranchera mexicana à la Vicente Fernández, grande cantor nesse estilo musical. Para o Los Angeles Times em Espanhol, Christina declarou: “Estou muito feliz de ter decidido incluir a ranchera que gravei neste primeiro disco. É uma homenagem a todos os que colocaram a música mexicana no lugar em que está hoje em dia, em especial a Vicente Fernández”.


Para Aguilera foi em coincidência “bonita” que essa ranchera leve o nome de La Reina (A rainha). “É a rainha que celebra a música do Rei, afirma e foi mais além: “Este disco é para os meus ancestrais latinos no Equador, para todos os que amam a cultura latina, inclusive para os que, como eu, perdemos a confiança em nosso espanhol porque não o falamos constantemente”.



Obs. Os três primeiros vídeos narram uma história de amor bandido. Em "Pa' mis muchachas" Aguilera prende o seu amante bandido, em "Somos nada" ela o mata por não poder seguir adiante com esse amor, e já em "Santo" ela desce ao inferno e o reencontra. Ao que tudo indica haverá continuação dessa narrativa que costura a primeira parte desse importante projeto para a cantora.


Fontes:


https://www.billboard.com/music/latin/christina-aguilera-la-fuerza-songs-ranked-1235021166/



https://www.latimes.com/espanol/entretenimiento/articulo/2022-01-20/christina-aguilera-le-rinde-homenaje-a-vicente-fernandez-y-a-todos-sus-ancestros-con-propuesta-la-fuerza