• Ronaldo Gomes dos Santos

Thor: Amor, Trovão, Drama e Comédia!

Hoje em dia a sensação que tenho ao assistir aos filmes da Marvel é de que:

O ponto máximo do longa metragem são as cenas pós créditos.!

Já aguardo o filme esperando as imagens que poderão dar pistas do que pode vir a seguir nos próximos filmes e fases, e o mesmo acontece com a fórmula cinematográfica da Marvel, comédia, participação de outros heróis na trama. Esse já é o combo. No novo filme do Thor, percebi uma dosagem acima da média desses fatores, o filme, que apesar de ter apresentado uma boa narrativa, perdeu-se na condução dela ao ter que se equilibrar entre tantas piadas no meio de cenas mais dramáticas. A meu ver, a fórmula Marvel tem perdido o seu funcionamento nessa nova fase nos cinemas.




No filme, acompanhamos um surgimento de um vilão/anti-herói, o Gorr, interpretado pelo Christian Bale, que por ter sido abandonado pelo deus de sua devoção quando mais precisava de auxílio, se volta contra todos os deuses do universo, e na outra ponta da trama, vemos a reconstrução do deus Thor que empreende uma busca interior: saber qual o seu propósito.


Confesso que esperava mais da história, mesmo tendo lido críticas que apontavam para esse desfecho, exagero na fórmula Marvel. O diretor Taika Waititi sempre havia feito trabalhos de muito esmero em grandes e médias produções, como O que fazemos nas sombras, Jojo Rabbit, Nossa Bandeira é a Morte (série), sem esquecer do filme Thor: Ragnarok, sempre dirigindo de maneira assertiva e criativa, porém aqui o resultado é um emaranhado de cenas costuradas com o intento de inovar através de muito riso e alguns momentos de drama. Sem dar spoilers, acredito que poderia ter sido mais bem aproveitado alguns momentos do filme como maior ênfase no vilão, melhor andamento da cena dos deuses e um final, bom o final deixo por conta de vocês.


No início do filme eu me perguntava o porquê do título Amor e Trovão e, no final do filme a ficha caiu. Rsrs. Ainda sim, valeu a pena ter ido assistir ao filme e ter tirado as minhas próprias conclusões acerca de tudo o que tinha lido e visto sobre o longa.




SINOPSE

Não recomendado para menores de 12 anos

Thor: Amor e Trovão é quarta aventura solo de Thor (Chris Hemsworth), personagem da Marvel, sendo a sequência direta de Thor: Ragnarok e o 29º filme do Universo Cinematográfico Marvel. Após os acontecimentos de Ultimato, Thor ansiando por um propósito, retorna a Nova Asgard e sua aposentadoria é interrompida por um assassino galáctico conhecido como Gorr (Christian Bale), o Carniceiro de Deus, que busca a extinção dos deuses. Para combater a ameaça, Thor pede a ajuda da Rainha Valquíria (Tessa Thompson), Korg (Taika Waititi) e Jane Foster (Natalie Portman), sua ex-namorada, que - para surpresa de Thor - inexplicavelmente consegue empunhar seu martelo mágico, Mjolnir, o que imbuiu Jane com o poder de Thor. Juntos, eles embarcam em uma aventura cósmica para descobrir o mistério da vingança do God Butcher e detê-lo antes que seja tarde demais.



Estreia no Brasil: 7 de julho de 2022 No cinema / 1h 59min / Aventura, Ação, Ficção científica, Fantasia

Direção: Taika Waititi

Roteiro: Stan Lee, Taika Waititi

Elenco: Chris Hemsworth, Natalie Portman, Christian Bale

Título original: Thor: Love And Thunder